Futebol

Conheça mais sobre a Asa Branca, bola da Copa do Nordeste que completa 10 anos em 2024

Conheça mais sobre a Asa Branca, bola da Copa do Nordeste que completa 10 anos em 2024

A Copa do Nordeste 2024 será decidida entre CRB e Fortaleza no próximo domingo (9), no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Para o segundo jogo da final, assim foi durante todos os jogos desta edição, a bola que irá rolar depois do apito inicial conta com uma história especial que poucos sabem.

A Asa Branca, bola oficial da competição, está completando 10 anos nesta temporada. O primeiro modelo foi criado pela Penalty ainda em 2014, com o nome sendo escolhido após uma enquete realizada nas redes sociais. Na ocasião da votação, as outras opções eram “Arretada” e “Maria Bonita”. 

A marca ainda produziu a bola até 2015 e voltou com a parceira junto à Copa do Nordeste em 2023. Ao longo desses anos, a Asa Branca passou por diversas mudanças e se tornou ainda mais tecnológica e sustentável.

“De lá pra cá, o que mudou é que a Asa Branca era feita em Termotec 8 gomos e hoje ela é produzida com 14, seguindo a mesma estrutura, porém em laminado ecológico, o Ecoknit”, explica Bruno Martins, coordenador de marketing da Penalty, sobre algumas das evoluções que a bola teve desde o seu início.

A Termotec é uma construção que garante 0% de absorção de água, além de oferecer maior durabilidade, performance e dar mais velocidade à bola. Já o Ecoknit faz parte do revestimento, que é feito de material reciclado.

A Asa Branca leva, aproximadamente, três horas para ficar pronta. Em sua confecção, são utilizadas 4,5 garrafas pets por unidade. Só em 2024, a Penalty produziu 2 mil bolas para a Copa do Nordeste, o que contribuiu para a reciclagem de 9 mil garrafas pet. 

Já no design, a Asa Branca conta com diversas características que remetem ao Nordeste, como a representação do céu e do sol. Outro ponto de destaque é a presença da frase ‘Made in Nordeste’, já que todas as bolas são fabricadas em Itabuna, na Bahia.

“As cores que escolhemos, com predominância do azul e do amarelo, são para representar a beleza do céu e do sol do Nordeste. Os detalhes em dourado representam a riqueza da cultura do povo nordestino. A bola também tem um ótimo contraste e equilíbrio de cores, para ter boa visibilidade tanto no estádio quanto nas transmissões”, completa Bruno Martins.

A Asa Branca possui ainda o selo ‘Fifa Quality Pro’, a mais alta certificação concedida pela entidade máxima do futebol mundial. Com isso, ela pode ser utilizada em qualquer campeonato profissional em todos os continentes. E é esse alto padrão que a faz estar à altura de um torneio como a Copa do Nordeste, que teve seu jogo de ida realizado na última quarta-feira, no Castelão. O Fortaleza levou a melhor por 2 a 0, com gols de Moisés e Lucero.

Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.