Bahia

Paiva exalta postura após triunfo como visitante

Paiva exalta postura após triunfo como visitante

O treinador Renato Paiva, na entrevista pós-jogo contra o Jacuipense, destacou o sentimento de orgulho em relação ao comportamento dos atletas durante os 90 minutos.

Para o comandante, além de enfrentar um time organizado, os jogadores foram dedicados e inteligentes para superar adversidades como, por exemplo, o estado do gramado do Eliel Martins.

“Muito orgulhoso dos jogadores e da capacidade de trabalho. Jogamos fora de casa contra o vice-campeão baiano em condições de jogabilidade baixas. Mesmo assim, entramos muito bem no jogo. Circulamos a bola e entramos nas zonas mais vezes que eu esperava. Depois o jogo se tornou mais difícil. Na segunda parte isso se acentuou. Muitas vezes o adversário defendeu com seis e isso nos dificultou. Mas tivemos 16 finalizações e nove oportunidades de gol. Isso é o que eu pedi aos jogadores. Temos que querer ganhar”.

Da estreia para este jogo foram duas mudanças na equipe titular. Para quarta-feira (18), contra o Atlético de Alagoinhas, o técnico já deixou claro o desejo de novamente fazer alterações. O que, para ele, será algo natural diante do calendário da equipe nesses dois primeiros meses de partidas.

“Muita da minha trajetória passa de decisões de jogadores que não foram convocados e depois são titulares. No final de todo jogo tem um treino e outro jogo. Não vai existir peças descartadas nesta equipe. E aqui ninguém vai jogar por nome. Aqui vai jogar quem trabalha. Vamos dar oportunidades, temos que ser profissionais. A ambição de querer mais no treino vai definir. Essa é nossa grande vitória. Hoje já fizemos mudanças, próxima quarta vamos fazer mais mudanças”.

O lateral esquerdo Ryan, promovido ao profissional no fim de 2022, ganhou a segunda oportunidade com ele, ainda que entrando apenas no segundo tempo. O garoto foi tema de um questionamento na entrevista coletiva.

“O Ryan é um jogador de muita energia, muito rápido. Temos que frear para ele não correr tanto. É preciso saber correr. Onde correr, quando correr. Ele ainda é muito jovem e vai aprender isso. A porta abriu, agora ele tem que aproveitar e fazer o caminho dele, porque a porta também fecha”.

Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/ECBahia

Comentários:

Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.